Grupo de Economia da Energia

The Economist (05 – 09/09/2009). Charge! Carmakers are shifting towards electric vehicles. Policymakers must do their part, too.

Com o crescimento e enriquecimento dos países, a tendência é que o número de veículos aumente cada vez mais. Espera-se que nos próximos 40 anos, o número de carros seja de 3 bilhões. Em breve a China vai ultrapassar a América como o maior mercado de carros e em 2050, ela sozinha terá a mesma quantidade de veículos que o planeta possui atualmente. Já a Índia deverá multiplicar por 50 a sua frota. Previsões feita como, por exemplo, pelo chefe da Renault Nissan Carlos Ghosn, 18 meses atrás, diz que ‘ se a indústria automobilística não conseguir produzir veículos com baixa ou nenhuma emissão de gases, o mundo irá explodir’.

Os carros contribuem com cerca de 10% das emissões de gases feitas por humanos e que são responsáveis pelas mudanças climáticas. Em grandes cidades, especialmente aquelas em países em rápido desenvolvimento como na Ásia e na América Latina, o engarrafamento e a circulação dos carros são os grandes responsáveis pela poluição do ar local. Os biocombustíveis têm diminuído a sua participação visto que está aumentando a preocupação com a produção destes em países desenvolvidos, pois eles não são totalmente limpos, por isso está havendo um grande esforço dos engenheiros em busca de tecnologias cada vez mais limpa e é neste campo que o carro elétrico está tendo grandes oportunidades.

O primeiro desafio era à distância a ser percorrida, sem a necessidade de um reabastecimento. Atualmente a extensão que é possível fazer com um veículo é de cerca de 160 km. Porém o maior empecilho é o custo para a produção destes veículos que é duas vezes mais caro se comparados com carros que tem derivados do petróleo como combustíveis. Isso ocorre devido os altos custos das baterias e a necessidade de se redesenhar várias peças do carro para que estas se adaptem ao carro elétrico.

Porém a indústria automobilística não pode resolver isto sozinha. É fundamental o apoio e incentivo do governo. É interessante e desejável para os governos apoiarem essa iniciativa, pois isto irá diminuir a sua dependência de importação de petróleo e também vai reduzir a poluição já que os carros elétricos não emitem gases.

A melhor maneira de estimular o início desta nova produção é através de taxas e impostos que penalizem a emissão de gases e também facilitar e promover a instalação de centros de reabastecimento destes veículos ao redor das cidades. Espera se que em 2020 os carros elétricos se tornem algo comum nas cidades em todo o mundo.