Grupo de Economia da Energia

A importância das redes para o sucesso das estratégias de descarbonização do setor elétrico

In energia elétrica on 14/05/2019 at 15:13

Por Clarice Ferraz

clarice052019A crescente eletrificação do consumo de energia associada à necessidade de descarbonização do setor já provoca importantes mudanças nos negócios de empresas de energia ao redor do mundo.

A resposta à necessidade de descarbonização veio sobretudo pelo avanço das novas energias renováveis, através de geração distribuída. A integração desses novos recursos energéticos distribuídos (REDs), marcados pela intermitência de sua geração, traz uma série de novos desafios para o setor de transporte de eletricidade. Como em toda reestruturação, Burger et al. (2018) lembram que “os reguladores e formuladores de políticas devem reconsiderar cuidadosamente como a estrutura da indústria no âmbito da distribuição afeta o planejamento, a coordenação e a operação do sistema, bem como a concorrência, o desenvolvimento do mercado e a eficiência de custos”.

A revolução agora se dá a partir do setor de distribuição e vai a montante afetando os outros componentes do sistema elétrico, com destaque para a transmissão, setor que recebe pouca atenção. Na realidade, são diversas transformações ocorrendo de forma concomitante, o que aumenta sua complexidade e o risco associado às reformas.

Os novos rumos do mercado de GNL: uma visão sobre a flexibilidade dos grandes compradores asiáticos

In gás natural, GNL on 01/05/2019 at 13:46

Por Yanna Clara Prade

Yanna052019O mercado de GNL vem passando por mudanças estruturais importantes, deixando de ser o irmão mais novo do mercado de gás, para tomar diferente rumo e adotar lógica própria. O grito de liberdade, na figura de um benchmark líquido e confiável para o preço do GNL, ainda não foi dado, mas as condições de mercado estão mudando rapidamente, como já apresentado em textos anteriores no Infopetro [1].

Um dos principais resultados da recente mudança do mercado de GNL é a alternância do “mercado dos vendedores” para o “mercado dos compradores”, no qual os compradores diante de vasta disponibilidade de oferta ganham maior poder de barganha frente aos vendedores. Essa condição impacta na pressão em flexibilizar algumas cláusulas dos contratos de longo prazo, assim como a intensificação do uso dos volumes spot e de curto prazo. Esse movimento pode ser chave para finalmente o mercado criar condições de liquidez e flexibilidade necessárias para a criação do benchmark de preço.

Os condicionantes da política energética do setor de petróleo nas últimas décadas

In energia, petróleo on 17/04/2019 at 11:13

Por Marcelo Colomer e Helder Queiroz

marcelo042019Desde a Cúpula da Terra do Rio em 1992, as preocupações sobre o aquecimento global e suas consequências sobre as mudanças climáticas vêm norteando as políticas econômicas dos países desenvolvidos e em desenvolvimento. Posteriormente, novos acordos (Protocolo de Kyoto em 1995, acordo de Paris em 2015 entre outros) ratificaram os compromissos assumidos pelos países partes em direção a uma trajetória de desenvolvimento sustentável, colocando os setores de energia no centro do processo de “descarbonização” da economia.

Dentro desse contexto, o termo transição energética passou a ser amplamente utilizado para referenciar o processo de mudança da matriz energética mundial em direção às fontes renováveis e de baixo teor de carbono. No entanto, quando analisamos historicamente a trajetória de desenvolvimento do setor de energia em alguns países, percebemos que o conceito de transição energética apresenta um espectro mais amplo de transformações sociais, políticas, tecnológicas e econômicas não sendo um fenômeno tão recente quanto a literatura sobre mudanças climáticas tenta passar.